Consciência negra em debate: Comemorar o quê?

Reportagem: Kahuan Sabino (9ºC), Guinter Samuel (9ºC), Pedro Leonardo (9ºC), Julia Bueno (9ºB) e Alice do Espírito Santo (9ºB)

No mês da Consciência Negra, o CAMÕES indagou diversas pessoas sobre qual a importância da data. O dia da Consciência Negra é comemorado no dia 20 de novembro. A data reúne diferentes ações de combate ao racismo e reacende o debate sobre a chegada dos negros ao país, a escravidão no Brasil e o racismo estrutural da sociedade.

Já em 2011, no governo Dilma Rousseff, por meio da Lei nº 12.519, a data foi oficializada como “Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra”. A escolha da data é uma referência a morte de Zumbi dos Palmares, um dos maiores líderes quilombolas do país.

Para Vitor Santos, o dia da consciência negra não faz o menor sentido, por um motivo, parece que as pessoas querem dizer que só devemos dar valor a os negros em um dia específico.

Sendo que todos os dias a gente deve olhar um para o outro como igual, cumprimentar da mesma forma e a o mesmo tempo se valorizar, se formos parar para pensar, a gente está ensinando a próxima geração, que os negros só tem um dia específico para a gente lembrar deles, sendo que todos os dias a gente deve lembrar um do outro, não só dos negros, como dos brancos, os pardos, os morenos, até mesmo aqueles que tem a pele multado que são pessoas com deficiência na pele, que ficam negros e branco e, na minha opinião a sociedade devia rever esse dia, como consciência humana, mas a o invés disso é chamada de consciência negra, mostrando que nós somos muito hipócritas e não damos muito valor a os nossos próprios irmãos de sangue.


Vitor Santos


Para Kemely Vanzo, o dia é extremamente importante, “temos que ter consciência do que houve no passado, e no que acontece no presente”.

Deveria ser um assunto mais falado, e não apenas saber o que houve e se esconder atrás de um dia, devemos falar mais, e dar melhorias sobre esse assunto, nos conscientizar e colocar todos do mesmo lado, e não pessoas negras abaixo de brancas. Acho que todo deveria ter algo para melhorar. As pessoas tem que saber o que aconteceu, e não fingir que foi apenas algo passado. Ter consciência das barbaridades que foram feitas aqui, e procurar cada dia recompensar, por mais que nunca conseguiríamos mudar o que houve, temos que mudar o presente e o futuro.

Kemely Vanzo


Natanael Fernandes, Isabelle Ribeiro, Luiza Santos e Audrey Gutierre também concordam com a importância da data.



“É uma data muito importante na História do Brasil, é uma data de luta e resistência contra a escravidão. Os negros contribuíram muito para nossa cultura. Na culinária, no vocabulário, na religião e em outros aspectos. Um exemplo é a feijoada e o carnaval que herdamos da cultura africana”

Natanael Fernandes



Obviamente, essa data é e deve ser lembrada, afinal de contas tudo o que aconteceu nunca deverá ser esquecido, eles conseguiram sua liberdade, e isso em si é muito bonito.

diz Isabelle Ribeiro

Um dia muito especial, me sinto orgulhosa dos meus antepassados, lutaram com unhas e dentes para conseguir sua liberdade.

Luiza Santos

Para Audrey Gutierre é “uma data extremamente necessária, pois reforça a luta contra discriminação facial e também a luta do povo negro pela sua liberdade.

Guilherme, lembra que a população deveria dar mais valor a data.

“Participo de um projeto aqui em São Paulo, certa vez uma educadora perguntou se seus alunos sabiam do feriado desse mês, do dia 20, alguns alunos não souberam o que responder. Então creio que esse dia deveria ser mais lembrado, mais homenageado, como natal ou páscoa, claro que de maneira diferente.” alega.

Guilherme




É uma data de extrema importância, mesmo ela sendo usada para lembrar a morte de Zumbi, mesmo que ele tenha morrido por uma ótima causa, acho que eu assim como muitas pessoas, preferiríamos que esse racismo não existisse. Lembrar isso em um único dia é pouco, a maior parte do ano, se não toda, devia ser dedicada a luta contra o racismo e a lembrar desse tema.

Guilherme

QUEM FOI ZUMBI?

Pintura que retrata um quilombo

Considerado um herói, não se sabe muito sobre quem foi zumbi (se este era seu nome ou uma função dentro do Quilombo dos Palmares), porém é considerado um dos principais personagens na luta pela libertação dos povos africanos no Brasil. Nascido no Quilombo dos Palmares, localizado no atual estado do Alagoas.

Durante os períodos colonial e imperial, o Brasil viveu um sistema de mão de obra escravocrata. Para fugir dos Senhores de Engenho e dos Capitães do Mato, os escravos se refugiavam nos Quilombos. Esses eram pequenas comunidades onde os negros podiam viver e praticar livremente sua cultura.

Por volta dos 7 anos, Zumbi foi capturado e levado para ser criado pelo Padre Antônio Melo. Assim, aprendeu português e latim, além da religião católica. Recebeu, então, o nome de Francisco. Mas, aos 15 anos de idade, ele fugiu de volta para o quilombo onde nascera.

As tropas portuguesas, infelizes com a fuga de diversos escravos, promoveram ataque a essas pequenas comunidades onde eles viviam. Numa dessas investidas, em 1675, Zumbi mostrou suas habilidades como guerreiro ao defender o Quilombo dos Palmares.

Três anos mais tarde, o governador da Província de Pernambuco chega à Palmares para fazer um acordo com o líder Ganga Zumba, tio de Zumbi. O guerreiro foi contra, pois queria que os escravos das fazendas pudessem ser livres como os quilombolas.

Logo em seguida, ele desafia seu tio e em 1680 assume o posto de líder do Quilombo. Durante seu “governo”, estima-se que a população de Palmares cresceu a um número de 30 mil pessoas. Portanto, Palmares se tornou forte o suficiente para vencer vários ataques portugueses.

Dessa forma, Zumbi dos Palmares ganhou notoriedade, não só entre os escravos, mas também chamou a atenção dos colonos. Porque era grande sua influência no movimento de libertação dos povos negros. Por conta disso, passou a ser perseguido.

Foram contratados, então, dois bandeirantes para liderarem uma nova investida, em 1694. Após semanas de luta, as tropas portuguesas conseguiram destruir Cerca do Macaco, capital de Palmares, e ferir seu líder.

No entanto, Zumbi dos Palmares consegue fugir antes de ser capturado. Posteriormente, ele foi traído por um antigo companheiro, Antônio Soares. Zumbi é, então, degolado e tem sua cabeça exposta em praça pública. Sua morte se deu no dia 20 de novembro de 1695, data escolhida como o “Dia da Consciência Negra”.

*texto retirado de: https://conhecimentocientifico.r7.com/zumbi-dos-palmares/

Se quiser conhecer mais sobre o tema, o CAMÕES indica o filme Ganga Zumba, de 1963:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close